Avalie o site

RELATOR FALA SOBRE TÉRMINO DA CPI DA COPASA

News3

A Câmara de Itajubá finalizou no prazo estabelecido, 180 dias, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da COPASA (Companhia de Saneamento de Minas Gerais), que apurou irregularidades na prestação de serviços de esgotamento sanitário. Recebemos no programa Espaço Livre o vereador e relator da CPI, Carlos Molina.

Molina explicou que foram realizadas diversas visitas pela comissão em alguns bairros da cidade, como Rebourgeon e Ano Bom. No Rebourgeon e imediações, por exemplo, foi verificado que uma obra não havia sido terminada pela companhia e o esgoto era lançado sem tratamento em um ribeirão há seis meses. Mesmo assim, o serviço de tratamento era cobrado dos moradores. Com o relatório, a cobrança foi suspensa pela COPASA e o valor desses meses será descontado na conta.

O relatório final foi encaminhado ao Ministério Público, ao prefeito, à agência reguladora (ARSAE) e à COPASA com a recomendação da suspensão imediata da cobrança da taxa de esgoto em Itajubá. Outra questão apontada por Molina, é a necessidade de interrupção deste contrato e a confecção de outro entre as partes. Ele esclareceu que quem estabelece o valor a ser pago para o tratamento de esgoto, quase 93% da conta de água, é a ARSAE. Para que esse percentual diminua, é necessário um trabalho em conjunto dos municípios mineiros.

Compartilhe:

Deixe seu comentário